Biografia de Maria José Nogueira Pena

Nasceu em Piumhi, MG, em 4 de dezembro de 1901, filha de José Nogueira de Sá e Elódia Parreira de Sá. Mudou-se para Belo Horizonte ainda menina, quando o pai, que era engenheiro de minas e metalurgia, foi nomeado para o cargo de diretor de obras da Prefeitura de Belo Horizonte, na administração Benjamim Jacob. Posteriormente, mudou-se para Ouro Preto, acompanhando o pai nomeado catedrático da escola onde estudou. Residiu também no Rio Grande do Sul onde o pai foi diretor das minas de carvão de São Jerônimo.

Em 6 de maio de 1924, já residindo em Belo Horizonte, casou-se com José Ribeiro Pena. Fixou residência em Itapecerica onde foi professora do Colégio Imaculada Conceição. Acompanhando o marido, que foi estudar direito, voltou a morar na Capital, retornando a Itapecerica após a formatura dele. Transferiu-se definitivamente para Belo Horizonte em 1944 onde viveu até o final de sua longa vida.

Teve 3 filhos, José Maurício, casado com Maria Luiza, Antônio, casado com Auxiliadora, e César Otaviano, casado com Telma, que lhe deram 8 netos e 15 bisnetos.

Acompanhou e apoiou o marido em toda sua brilhante carreira política, dedicando-se também a obras de assistência social, demonstrando carinho e interesse em especial pela educação dos jovens e apoio aos idosos. Atuou no Servas, Apoio Social Cristão e outras entidades. Fundou e dirigiu durante décadas o Abrigo Frederico Corrêa em Itapecerica. Ingressando na política, após o marido ter encerrado sua carreira, elegeu-se deputada estadual em duas legislaturas (1962-1966 e 1966-1970), tendo sido, juntamente com Marta Nair Monteiro, a primeira mulher a exercer o cargo de deputado em Minas Gerais. No primeiro pleito, teve a quarta maior votação.

Com sua extraordinária cultura e inteligência, brilhou numa época em que pouquíssimas mulheres conseguiam destaque na sociedade brasileira. Seu otimismo e alegria de viver são exemplos a serem seguidos pelas novas gerações.

Faleceu em 30/10/2004 às vésperas de completar 103 anos.

Maria Pena no Dicionário Mulheres do Brasil

Em outubro de 2000, foi publicado o "Dicionário Mulheres do Brasil", incluindo um verbete sobre Maria José Nogueira Pena, que reproduzimos aqui (PDF)

Centenário de Maria Pena

Matéria publicada pelo "Diário da Tarde" em 4/12/2001

Homenagem de Lafaiete Pena Mesquita a Maria Pena

por ocasião de seu centenário em Belo Horizonte, dezembro/2001

Tia Maria:
Nos idos de 1936, ano do Congresso Eucarístico, a turma da Margarida se arranchou na Rua Gonçalves Dias, 480 para as festas:
Aí se juntaram as duas "turmas".
Você e nossa mãe se desdobravam com a criançada.
A gente se lembra, por exemplo, da "matinê" do Cine Brasil, em uma tarde de setembro, quando todos pegamos o bonde para, ver o filme "DAQUI A CEM ANOS!".
Pois é!
O que todos vimos, no filme, praticamente aconteceu nos dias de hoje...
Mas faltou uma cena naquela história!
Deixaram de filmar a festa de hoje, quando todos nós que naquela época éramos "extras", passamos hoje a "artistas"!
Sim, querida, e você é a estrela principal do filme de nossas vidas quando a vemos completar um século de existência!
Tudo que o filme desenrolou, contando história do porvir, você, em sua vida, realizou! Só que o filme contou histórias, fez conjeturas.
Você, não. Você realizou.
Companheira, esposa e mãe dedicada e extremosa, você se doou, por completo. Com a partida de nossa mãe, Margarida, seus braços se estenderam para ajudar a "turma" que ela deixou, nos amparando, aconselhando, assistindo! Foi uma adoção do coração!
E como lhe somos gratos por tudo isto!
É o que estamos querendo lhe dizer hoje: OBRIGADO!
Muito obrigado por tudo, querida tia e querida Mãe!
Beijos muito carinhosos de
Lafaiete, Laércio, Fazinho, Américo (in memoriam), América, Fernando, Carmelo, Lolódia e Claret.

i>

Maria Pena na Wikipedia

Leia o artigo